domingo, 6 de novembro de 2016

Andarilho - Xangô da Mangueira

Viajando por um caminho deserto
Muitas léguas sem encontrar ninguém
Mas de repente eu avistei
Um vulto que me assombrei
Era um homem todo largado, todo barbado
Com os pés inchados de tanto andar
Eu imaginei o que ele fazia por ali
Ele assim me respondeu:
O homem feliz sou eu

Sou feliz sim porque não vivo a reclamar
Sou feliz por isso posso lhe explicar
Essas barbas para mim são uma beleza
Essa roupa esfarrapada isso pra mim é uma riqueza
E estes pés inchados descalçados
É o orgulho de um homem que não vive humilhado

Nenhum comentário:

Postar um comentário