sexta-feira, 17 de julho de 2015

10 anos - Alessandro Brito

Hoje fecha-se o ciclo de uma vida, a sua,
longe dos meus olhos.

Rebusquei em meus guardados, me dei conta,
não temos fotografias!

Talvez procurando consolo, também me dei conta,
que na memória ela são infindas.

Uma vida depois, são tantas mudanças...
Dela lhe dedico todas as vitórias.

Hoje radicado em sua terra, que ironia,
Por onde tem andando que não me faz companhia?

Tua ausência ainda é tão sentida, sei que é "rumo certo"
Mas tão sofrível pra quem fica.

Hoje sou só metade, a outra se foi,
com a sua partida.

A metade que ficou, só tem perguntas,
sem respostas.

Restou inteira apenas esperança, que dizem,
ser a última que morre.














Nenhum comentário:

Postar um comentário