domingo, 12 de outubro de 2014

Rolleiflex - Florbela Espanca


Sei lá! Sei lá! Eu sei lá bem 
Quem sou? um fogo-fátuo, uma miragem... 
Sou um reflexo...um canto de paisagem 
Ou apenas cenário! Um vaivém 

Como a sorte: hoje aqui, depois além! 
Sei lá quem sou?Sei lá! Sou a roupagem 
De um doido que partiu numa romagem 
E nunca mais voltou! Eu sei lá quem!... 

Sou um verme que um dia quis ser astro... 
Uma estátua truncada de alabastro... 
Uma chaga sangrenta do Senhor... 

Sei lá quem sou?! Sei lá! Cumprindo os fados, 
Num mundo de maldades e pecados, 
Sou mais um mau, sou mais um pecador...


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Frase - Florbela Espanca

“Estou cansada, cada vez mais incompreendida e insatisfeita comigo, com a vida e com os outros. Diz-me, porque não nasci igual aos outros, sem dúvidas, sem desejos de impossível? E é isso que me traz sempre desvairada, incompatível com a vida que toda a gente vive.” 

domingo, 5 de outubro de 2014

Feliz aniversário - Luan Passos de Souza

Chegou aos 27 é mais um sobrevivente...rs
Amado irmão, gostaria de estar por ae para lhe dar um grande abraço e dizer pessoalmente o quanto você é importante na minha vida.
Você é um gênio, o mundo pegando fogo e você simplesmente me mete uma mochila nas costas e sai sem nem dar tchau. Claro que vale lembrar que você foi um tremendo fdp, mas está mais que absolvido.
Sua coragem e determinação em sair do seu mundo seguro e buscar liberdade na natureza selvagem, não da mata, mas do ser humano, em buscar respostas para as trilhões de perguntas sem respostas... merece todo respeito.



Ah como não me envaidecer em poder ter discutido "de igual pra igual" umas centenas de vezes... Coragem é para seres de alma gigante, para seres humanos que se permitem viver o inesperado, para quem, mesmo sem saber onde está indo segue seu caminho.
Tenho absoluta admiração por você, não que eu concorde com tudo que faça, claro que não concordo, mas sei que te amo porque consigo respeitar você como é, e a veracidade do que digo está na minha felicidade quando regressou daquele período de isolamento. Ensaiei uma duzia de comidas de rabo, por acreditar que cedo ou tarde regressaria, e o máximo que pude fazer foi conter as lágrimas, eu sou mesmo um bundão!
Talvez uma hora dessas realizemos aquele projeto de vida, que certa madrugada estrada a fora nós acertamos, talvez no RJ ou aqui mesmo no nordeste, o lugar será o menos importante.


EU preciso de você, é vital para mim que continue mantendo sua essência, sozinho não chegarei muito longe. Que sejamos velhos safados também conscientes do que representamos no mundo e para ele.

TE AMO ATÉ PARA SEMPRE!

sábado, 4 de outubro de 2014

Áomse II - Alessandro Brito

Ainda sou tão limitado no sentir...
Não consigo desfazer aquela velha confusão que surge nesse momento em que a vulnerabilidade me domina e me deixa feito uma criança que não sabe absolutamente nada das coisas da vida.
Meu egoísmo impera, minha filosofia se torna (na minha cabeça) uma verdade tão absoluta, penso que não exista esforço nenhum da outra parte para compartilhar momentos comigo. Meu desejo tem que ser saciado, e nesse instante percebo que tudo se refere a mim, ao que quero, sinto e desejo. Então percebo o quanto preciso evoluir e absterger meu egocentrismo, e nesse milésimo de segundo de reflexão, no instante que este sentimento me consome, vejo brilhar o outro lado da moeda, que me faz questionar se essa verdade absoluta realmente é compartilhada pela outra parte. Xeque-mate! Que fazer com mais este paradoxo?

Quando você venera Johnny Cash eu gosto de você, quando você admira Bukowski é inevitável não gostar de você, então Augusto dos Anjos vem e nos une, gosto disso também. Quando "Into the wild" faz sentido pra você, estou mais próximo de você do que imagina, nesse instante perco o medo de ser julgado, posso contar minha história sem ter medo de censura, então é como deveria ser, somos amigos,  mesmo sem saber, desde sempre.


Impressão digital - Ederaldo Gentil

Coberta de lã não aquece
O frio que vem da saudade
Chave de ouro não abre
A porta da felicidade
Tempero nenhum mudará
O doce sabor da afeição
Como também guerra fria
Não vence o calor da paixão

Como tal
Tal qual uma real posição
Cada mão com sua impressão digital
Bem maior o brilho do sol no verão
Cada qual no seu lugar natural

Nenhuma barreira consegue
Impedir a ação do amor
Não a disfarce na face
Para livrar-se da dor
Não há fortaleza que barre
A fraqueza de uma ilusão
Não tem consciência capaz
De trair de negar a razão

Como tal...
Tal qual uma real posição...

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Rolleiflex - Favela pesada

MILIDUQUES!!!

O sentimento? Missão cumprida
A trilha? Mundo mágico de oz
A ideia? Muita treta vishiiii
A madrugada? Fomos dela e ela foi toda nossa.