terça-feira, 23 de setembro de 2014

Eddie Vedder - Hard Sun (Legendado em português)

Película - Gênio indomável


Sean
(Robin Williams) dá uma bela explicação sobre a vida ao seu paciente Will Hunting (Matt Damon).   Roteiro: Ben Affleck e Matt Damon

Sean – Pensei no que disse outro dia sobre o meu quadro. Passei metade da noite acordado. Até que me toquei de algo e caí num sono profundo. E não pensei mais nisso. Sabe o que foi?
Will – Não
Sean – Você é só um garoto. Não sabe o que está falando.
Will – Obrigado.
Sean – Tudo bem… Você já saiu de Boston?
Will –  Não.
Sean – Se eu te perguntar sobre arte, me dirá tudo escrito sobre o tema. Michelangelo, você sabe muito sobre ele: sua obra, aspirações políticas, ele e o papa, tendências sexuais, tudo. Mas não pode falar do cheiro da Capela Sistina. Nunca esteve lá, nem olhou aquele teto lindo. Nunca o viu. Se eu te perguntar sobre mulheres, me dará uma lista das favoritas. Já deve ter transado algumas vezes, mas não sabe o que é acordar ao lado de uma mulher e se sentir realmente feliz. Você é um garoto sofrido.  Se perguntar sobre a guerra, vai me citar Shakespeare “Outra vez ao mar, amigos.” Mas não conhece a guerra. Nunca teve a cabeça do seu melhor amigo no colo e viu seu último suspiro pedindo ajuda. Se te perguntar sobre amor, citará um soneto. Mas nunca olhou uma mulher e se sentiu completamente vulnerável. Alguém que o entendesse com um olhar, como se Deus tivesse posto um anjo na Terra só para você, para salvá-lo do inferno. E você sem saber como ser o anjo dela, como amá-la, apóia-la, estar com ela sempre, em tudo… no câncer.  Não sabe o que é dormir sentado num hospital por dois meses, segurando a mão dela, porque os médicos viam em seus olhos que o termo “horário de visitas” não se aplica a você. Não sabe nada de perda, porque ela só ocorre quando você ama algo mais que a si próprio. Duvido que já tenha amado alguém assim. Olho pra você, e não vejo um homem inteligente e confiante. Só um garoto convencido e assustado. Mas você é um gênio, é inegável. Ninguém entenderia sua complexidade. Mas você acha que me conhece por um quadro e disseca minha vida. Você é um órfão, não é?  Acha que sei de como sofreu, como se sente, quem você é, porque li Oliver Twist?  Você se resume a isso? Pessoalmente estou cagando para isso, porque eu não posso aprender nada sobre você, não posso ler em nenhum livro. A menos que me conte sobre você, quem você é. Isso me fascinaria. Isso sim. Mas não quer fazer isso não é? Morre de medo do que poderia dizer. Você que sabe.

domingo, 21 de setembro de 2014

Áomse - Alessandro Brito

Hoje dediquei o dia pra te namorar
Acordei fitando-a,
Estava tão linda
Parecia criança de colo, a sonhar

O tempo parecia correr
Adiantando o compasso da vida
Talvez sentisse também
O nosso "querer bem"

Até Athena, deusa da sabedoria
Esteve em nossa companhia
Simbolizada em tua carne
Envolveu-se em nossa fantasia

Senti falta da música
Que tímida se escondeu
Pensando que ali não havia
Espaço nem pra mais uma melodia

Eu falava, você sorria
Sonhávamos mais um dia
Sonhos simples de incertezas
Contemplando a natureza

Caminhamos sem destino
De mãos dadas, nos unimos
Mas cheguei ao fim da estrada
Por que você não me acompanhava?

domingo, 14 de setembro de 2014

Discurso - Cecília Meireles

E aqui estou, cantando.
Um poeta é sempre irmão do vento e da água: deixa seu ritmo por onde passa.
Venho de longe e vou para longe: mas procurei pelo chão os sinais do meu caminho e não vi nada, porque as ervas cresceram e as serpentes andaram.
Também procurei no céu a indicação de uma trajetória,  mas houve sempre muitas nuvens.
E suicidaram-se os operários de Babel.
Pois aqui estou, cantando.
Se eu nem sei onde estou,  como posso esperar que algum ouvido me escute?
Ah! Se eu nem sei quem sou,  como posso esperar que venha alguém gostar de mim?

Frase - Alessandro Brito

Saudade não é algo que se tem conhecimento é algo que se sente, muito além do que a palavra pode expressar!!!

Maria Bethania, Dona Canô e etcs... FOGUETE

S A U D A D E ! ! !



Tantas vezes eu soltei foguete

Imaginando que você já vinha

Ficava cá no meu canto calada

Ouvindo a barulheira

Que a saudade tinha

É como diz João Cabral de Mello Neto

Um galo sozinho não tece uma manhã

Senti na pele a mão do teu afeto

Quando escutei o canto de acauã

A brisa veio feito cana mole

Doce, me roubou um beijo

Flor de querer bem

Tanta lembrança este carinho trouxe

Um beijo vale pelo que contém



Tantas vezes eu soltei foguete

Imaginando que você já vinha

Ficava cá no meu canto calada

Ouvindo a barulheira

Que a saudade tinha

Tirei a renda da naftalina

Forrei cama, cobri mesa

E fiz uma cortina

Varri a casa com vassoura fina

Armei a rede na varanda

Enfeitada com bonina

Você chegou no amiudar do dia

Eu nunca mais senti tanta alegria

Se eu soubesse soltava foguete

Acendia uma fogueira

E enchia o céu de balão

Nosso amor é tão bonito, tão sincero

Feito festa de São João

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Sentimentos de um homem - Alessandro Brito

Cheguei por aqui na década de 80, mais precisamente em 1983 e o mundo já se apresentava como tal, o máximo que pude e posso fazer é tentar me adaptar, e ae mora o problema...

A década de 80 foi incrível, ser criança em grau, número e gênero é incrível! em 1989 entrei para primário (ensino fundamental) ooo saudade. E foi uma infância inenarrável, maravilhosa, só o fato de conservar alguns tantos amigos (que se tornaram irmãos) daquela época até hoje, não preciso dizer mais certo?

A década de 90 foi ainda mais incrível, todo o peso nas minhas costa era passar de ano (nunca se cogitou a possibilidade de repetir, meu pai me mataria, ao menos no meu fantástico mundo de Bob) e brincar de todas as brincadeiras de rua possíveis, tipo:
Pique bandeira
Queimada
Duro ou mole
Pega a pega
Esconde-esconde
Cabra cega
Cabo de força
Estátua
Mimica
Vivo e morto
Polícia e ladrão
Carrinho de rolimã
Fubeca (bolinhda de gude, bila)
Taco
Amarelinha
Passa anel
Telefone sem fio
Stop (Uuuuuuuuu stop)
Futebol (quantos tampões do dedão não ficaram no caminho, um pouquinho de terra em cima pra coagular o sangue e o clássico seguia)
Estrela nova cela (que só depois do google vim saber que era pra ter sido "estréia nova cela", mas ae já era tarde)
Caiu no poço (Caiu no poço -Quem te tira? - Meu amor - O que você quer dele? - Um beijo na boca)
Pular corda (Salada saladinha bem temperadinha com sal pimenta fogo e foguinhoooo)
Corre cotia (Corre cotia, na casa da tia, corre cipó , na casa da vó, lencinho na mão caiu no chão, moça bonita do meu coração. Pode pegar? Pode! Ninguém vai olhar? Não!)
Adoleta (a-do-le-ta-le-pe-ti-pe-ti-pe-tá le café com chocolá a-do-le-tá puxa rabo do tatu quem saiu foi tu)
 Nossa, nunca havia me dado conta de como foi trabalhoso viver essa época.

Como nunca fui sinônimo de beleza, o despertar para  as garotas veio mesmo na fase do colegial (ensino fundamental) 1997, raspei o cabelo, coloquei lentes de contato, um par de brincos na mesma orelha, e me vinguei de um monte de moças que não me davam bola. Época também que comecei a descobrir meu corpo, fase sensacional.
Só na chegada do novo milênio é que de fato cai na vida real, dependendo do ponto de vista claro. Então veio o golpe mais duro, aquele mundo com o formato padrão que me foi apresentado lá no início da minha história começou a refletir sobre mim. Não teria problema, eu seguiria o fluxo normalmente, levando uma vidinha medíocre e feliz se não tivesse sido apresentado a algumas pessoas e suas histórias.
É lamentável ver como é moldado e parametrizado o sentimento de um homem nessa sociedade doente, ainda vivemos em tempos toscamente machista, e nesses moldes, um homem que se mostra fraco perde cartaz. Que tolice, eu vivo por me apaixonar e dar cabeçadas, cada coração alheio é um universo paralelo ao meu, não é possível controlá-los, logo cada novo instante é uma nova surpresa, e o que fazer se não sentir? Mas sentir de verdade, desenfreadamente, sem medo de exposição ou censura a cada desengano ou nova desilusão, afinal cada cabeçada é sim uma nova lição.
Eu me projeto, falo o que penso, demonstro sim, toda fraqueza e tenho tido que me recompor e me refazer, lá se vão três anos e meio solteiro, não por falta de me permitir ou me apaixonar, mas por falta de alguém que apenas me reconheça. Tudo que tenho é a esperança de um novo dia, não posso ser negligente quanto a isso, não me daria ao luxo de desistir por ter me ferido algumas vezes, seria muita covardia de minha parte.
Quem tem medo de se entregar, não merece ser feliz, seria injusto para com aqueles que como eu se jogam no abismo.
É tudo tão confuso de agir e tão simples no sentir. Mas
E então surgem milhões de paradoxos, ligar ou não ligar, escrever... falar... convidar... presentear... voltar... seguir...
É preciso saber quanto custa (não falo de valores R$) cada coisa em nossa vida, para sentir um namoro é preciso ter sido solteiro por algum tempo, para se saber quanto custa ser solteiro é preciso ter estado em um relacionamento por algum tempo, para saber quanto custa ser casado é preciso ter sido solteiro e ter namorado por algum tempo. Sem estas experiências não acho muito confiável alguns "sentir".
Talvez por ter pago uma parcela de cada um, hoje seja tão fácil expor meus sentimentos sem medo e ao mesmo tempo tão difícil ser reconhecido. E pelo mesmo motivo estou sentindo falta de uma companheira, mas os sentimentos alheios tem se apresentado tão fugazes...
A porta continua ente aberta, espero poder escancara-la dentro em breve.








Perfume de mulher - Al Pacino

“Tango não é como na vida. Se você erra, continua dançando. É isso que o faz tão fantástico”



No filme "Perfume de Mulher" há uma cena inesquecível, quando Al Pacino que vive um personagem cego tira uma moça para dançar e ela responde:

- Não posso, porque meu noivo vai chegar a qualquer momento.
-Mas em um momento se vive uma vida, responde ele, conduzindo-a em um passo de tango...

"Em um momento se vive uma vida"...

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Jingle Brinquedos Estrela 1987

NA MORAL, CHOREI!!!

A estrela é nossa companheira, nossa brincadeira, nossa diversão.
A estrela entende a gente, traz sempre pra gente uma nova invenção.
Todo segredo, de um brinquedo, vive na nossa emoção.
Toda criança, tem uma Estrela, dentro do coração.

Meu Querido Poney, Sapeca e Bambina,
Moranguinho e sua coleção.
Ponte Car, Kork, Comandos em Ação, Jogo da Operação
HeMan e Tremilique, Escolinha da Moda, Chuquinha, Trombada e Dragão.
E os Super Powers protegem a Barbie, a estrela da constelação.
Todo segredo de um brinquedo, vive na nossa emoção
Toda criança tem uma estrela, dentro do coração.

A Estrela estrelando, brincando com a gente, e a gente brincando feliz.
A vida é um sonho, e o sonho é da gente, criança estrelando feliz.
Todo segredo de um brinquedo, vive na nossa emoção.
Toda criança tem uma estrela, dentro do coração.
Toda criança tem uma estrela, dentro do coração.

domingo, 7 de setembro de 2014

Eleições - 2014

FOMOS PARA AS RUAS DE SÃO PAULO, CONFESSO QUE MEIO PERDIDO, MAS CIENTE DO DESEJO DE MUDANÇA E RENOVAÇÃO. ÓBVIO QUE A CAUSA NÃO FORAM OS R$0,20 APENAS, MAS ESTE ESTOPIM FOI A OPORTUNIDADE QUE SURGIU DA MINHA GERAÇÃO, TÃO APÁTICA POR DUAS DÉCADAS, DEMONSTRAR TODA INSATISFAÇÃO DO QUADRO ATUAL DO NOSSO PAÍS.
CADA CIVIL QUE SE PROJETOU AS RUAS, ASSUMINDO OS RISCOS DE ENFRENTAR ESSA DITADURA MAQUIADA, PODE SER EXEMPLO PARA SEU PRÓXIMO, FAZER DIFERENÇA DENTRO DO SEU MEIO E É ASSIM QUE SE MUDA O MUNDO.
SINCERAMENTE, NUNCA IMAGINEI QUE HOUVESSE TANTA GENTE DA MINHA GERAÇÃO (E PRÓXIMAS) PREOCUPADOS COM POLÍTICA E DISPOSTOS A LUTAR.
FOI REALMENTE MUITO IMPORTANTE FAZER PARTE DAQUELES MILHÕES, QUE SÓ EXISTIU PORQUE NÃO FICAMOS CRITICANDO OU FAZENDO MÉDIA POR INTERNET.
ESPERANÇA RENOVADA... VEREMOS AGORA NESSA ELEIÇÃO O QUANTO FOI EFETIVO ESSAS MANIFESTAÇÕES.

ESTES SAFADOS JAMAIS DEVEM SER REELEITOS!!!!!!

PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira
Coligação: MUDA BRASIL (PSDB / PMN / SD / DEM / PEN / PTN / PTB / PTC / PT do B)

PRESIDENTE - Aécio Neves
GOVERNADOR - Geraldo Alckmim - Cassio Cunha Lima
SENADOR - José Serra - Tasso Jereissati

SÓ COLARIINHO BRANCO, MEU DEUS UMA VERDADEIRA QUADRILHA!!!!!!

PT - Partido dos trabalhadores
Coligação: COLIGAÇÃO COM A FORÇA DO POVO (PT / PMDB / PSD / PP / PR / PROS / PDT / PC do B / PRB)

PRESIDENTE - Dilma
VICE PRESIDENTE - Michel Temer

PT e PMDB ... MEU JESUS CRISTIMMMM (Eu queria ter, pra testa e vê um malote, com glória, fama embrulhado em pacote. Se é isso que seis qué vem pega, jogar num rio de merda e ver vários pula...Dinheiro é foda).

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Metade - Oswaldo Montenegro

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca;
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo...

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão...

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço...

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção...

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também.