segunda-feira, 4 de março de 2013

Um novo dia,uma nova decisao - Mania de tristeza e Seducao (blog)

12/11/2012
Sem sono outra vez, outra noite em quase cinco noites. Realmente já sei o que perturba, e talvez eu hoje a noite possa dormir.
Meu coração se adoeceu. Ele se adoeceu porque eu concordei em viver sem ele, em viver sem que ele participasse.
Agora eu preciso mais que tudo colocar tudo pra fora e me libertar, mais uma relação no meu caderninho, mais um fracasso meu. Mas no fim eu sei todos os motivos.
Eu não sei viver uma relação assim, perfeita em idéia e fraca em prática. Deixe-me explicar.
Hoje vivo com alguém cuja comunicação é tão forte e gostosa que é como se fôssemos melhores amigos. Alguém que me faz rir. Alguém cujo coração é tão doce e bom quanto o meu. Alguém cuja face sempre transparece ideias demais. Ele é um dos caras mais incríveis que conheci. Mas eu não o amo, não com a intensidade que de meu coração precisa. Meu cérebro o ama, ama o jeito como ele ri e parece um vilão de novela, como é complexo e todos os dias descubro novas facetas. Como ele aprendeu a me ler tão rápido. Ele mudou muitos conceitos e padrões do que eu já havia vivido.
Mas ainda assim, quando não o amo de coração, quando esperei que ele tocasse minha alma, quando estive com ele e não senti meu coração participar, quando meus sentimentos fugiram de mim e eu fiquei triste e só mesmo estando ao lado dele, ele não viu, não o culpo.
E agora meu coração sufocado pede um ultimato, quer me deserdar, quer me abandonar.
Quer ir embora e se eu tenho que escolher entre alguém e eu, terei que escolher por mim.
Não me julgue, por favor, não sou tal horrível pessoa. Eu posso acrescentar mais detalhes à figura para que você possa enxergar e me entender.
Ele tem outros problemas, outros que não sou eu, ele tem uma vida muito diferente e uma concepção que ainda estou por entender. Sei que parece vago, mas se eu jogar limpo e contar tudo, você vai dizer vai concordar mais rápido que devo deixa-lo mas não vai entender o lado dele.
Porque de verdade, esses outros problemas contribuiram muito pouco na minha decisão, o que pesou mesmo foi o fato do meu coração não estar com ele e se recusar a estar com ele. É como se eu nunca conseguisse ser dele completamente. Eu preciso de outras coisas, troco toda a intensidade dos orgasmos, troco todas as mirabolações sexuais por mais sentimento, por momentos onde ele tivesse me cativado, tivesse conquistado o lugar dele no meu pensamento.
Agora ele parece um incômodo que eu me ofereço a viver mas não quero viver.
E o que mais me dói é saber que por fim, eu vou magoar mais alguém. Me sinto uma pessoa horrível. Tão maldosa. Tão sem jeito. Porque não podemos escolher o que o coração faz?
No fim, vou ter que me justificar muito, porque talvez ele não queria desistir de mim, o que me seria digno.
Mas eu sei que ele também sente, ele também percebe que eu não estou completamente com ele.
E por fim, aquele outro babaca que tenho mil razões para ignorar, ele que escolheu me machucar, ele eu amei. Parece que no fim eu estou aprendendo e muito. E como uma pessoa me disse, talvez não se precise de uma razão precisa para se terminar, apenas não querer se estar mais lá. Concordo, as vezes vou no fundo do poço, preciso ver tudo carbonizado e queimado, destruído e dito, para então ir embora. acho que dessa vez posso fazer diferente e ir embora antes que tudo desabe.
Não me sinto feliz com isso tudo, mas me sinto menos infeliz ao menos.
Meu mundo talvez esteja se encaminhando a fim de ser mais sozinha e me entender mais, conseguir dizer não, conseguir fazer o outro me merecer ao invés de me doar tão fácil.
Ah, o meu mundo podia ser menos preto e branco...

Fonte:http://lumanias.blogspot.com.br/2012/11/um-novo-dia-uma-nova-decisao.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário