quarta-feira, 13 de março de 2013

Os homens dessa epoca - Flavia Tambalo

Já não se vivem os amores...
Vive-se as indelicadezas, ciumeiras e numa incansável luta pela razão
Perde-se entre as linhas do poder, o amor.
Perde-se a graça após tanta intolerância,
Perde-se os risos doces e fáceis, após as brechas abertas pela desconfiança
Perde-se tanto tempo, precioso tempo com insensatez.
Já não se vivem os amores...
Os homens desta época já não sabem o gosto de conquistar
Sabem tudo sobre preços, contas,e processos,
Perderam-se entre o fútil mundo de ninguém,
Perdem a cada dia sua amada, pelas palavras não ditas,
Pelos olhos que por ela passam despercebidos,
Perdem suas amadas, no instante em que perdem o dom de acariciar a alma delas.
Homens sem serenatas, sem poesias, sem vinculos...
Sempre apressados, fustigados pelo tempo de seu relógio,
Sempre falando de coisas vãs,indo daqui ali descontentes pelo que o dinheiro não pode comprar.
Homens desta época, não sabem o que representam as flores, não sentem emoção de pegar nas mãos de uma donzela
Não sabem ao menos o prazer de encostar em seu corpo,
De dançar vagarosamente, sentindo o coração dela bater no compasso do seu peito.
Já não se vivem os amores como outrora, que parecia ontem as belas histórias de amor descabido.
Hoje não passam de ficção. Fricção...sem afeição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário