terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Nirvana intelectual - Elma Moreira de Assis

From: elma_moreira@hotmail.com
To: sandrovisks@hotmail.com
Subject: Nirvana...
Date: Mon, 29 Dec 2008 18:31:35 +0300

Nirvana Intelectual 


Nirvana intelectual, mental, pessoal. É este o modo como me sinto ao terminar a leitura e meditar em certas palavras do tão sábio filósofo Nietzsche. Bem que este livro surgiu em boa hora, deixe-me explicar:

Sempre vivo em meu mundo de fantasias, mascaro a realidade para conseguir suportá-la, desenvolvo quase que uma duplicidade de pensamentos e comportamentos, uma vez que minha real situação veda tudo isso! Crio meu mundo fantástico, meu lugar secreto, onde só permito que pouquíssimas pessoas o conheçam, deleito-me com sabores que nunca, em minha vida corriqueira, me seria permitido. Sempre criada em meio a prisões culturais, foi-me ensinado apenas o significado da palavra submissão, significado este que me recuso a aprender!!! Por muito vivi sem sentir, até que consegui não apenas olhar, mas ver o que estava ao meu redor, as portas que existiam. Cresci e em decorrencia meus sentimentos amadureciam, como não era permitido ser e sentir o que deveras eu queria, passei a encarar de uma outra forma o turbilhão de sentimentos que brotavm de meu ser e criei um mundo onde eu seria livre, sem a feiúra da realidade. Transportei-me para outro lugar, fora desses padrões e grades, longe dessa gente mesquinha e da visão tão pequena, fosca. Logo minha luta interna mostrou-se evidente, negava-me a submissão aos moldes sociais e a render-me perante a "supremacia masculina". Sempre desejei mais, e ainda desejo! Não me conformei em ser mais uma cópia estereotipada de mulher, preocupada apenas com o trivial e dobrada perante os julgamentos alheios. Tais julgamentos já não tinham nehum poder sobre mim, importava-me apenas com minha individualidade, minha paz interior! Sinto que sou incompreendida, ou até mesmo julgada, poucos são os que conhecem minha essencia... Vivo meu paradoxo: a "jovem infinitamente promissora" e o que sinto que sou, uma mulher repleta de sentimentos e desejos abafados por uma casca que não revela o que deveras sente! Tomada por Nietzsche, mergulho dentro de meu íntimo na procura desesperada de suportar o peso das palavras não ditas, dos beijos não dados, das viagens nunca feitas... Quanta coisa a se viver!!!Quanto tempo perdido!!! Confesso que cada momento é aproveitado com toda a minha inteireza e consolo-me com a idéia de que muitos ainda estão por vir. Vivo na eterna divisão entre o que quero fazer e sinto, e o que devo fazer... Só no meu mundo inventado faço realemente o que desejo. "Somente o depois de amanha me pertence". Não procuro maldizer minha vida, apenas crio forças para mudá-la. Nego-me a temer a vida, até sinto uma carga negativa possuir meu ser por frações de segundos, mas logo cuido em extirpá-la de mim. " Viva enquanto viver!" Por muitas vezes ainda ajo com ansiedade, mas muito já tenho melhorado, deixando o mau chegar a seu próprio tempo e aproveitando a efêmera alegria de um momento. "Morra no momento certo!" Não quero culpar-me por despediçar o fôlego de vida do qual disponho, ao contrário, apaixonada e intensamente me entrego a cada nova experiência e oportunidade, como se fosse a última maneira de reavivar minha alma; reanimar meu espírito! "Voce viveu sua vida? Ou foi vivido por ela? Escolheu-a? Ou ela escolheu voce? Amou-a? Ou a lamentou?" Arrependimentos são sinais de determinado fracasso; não sinto que eu tenha tal vocação! "Este momento existe para sempre!" Sinto que me fortaleço a cada contradição ou erro; cresço mesmo quando tropeço. "Viver com segurança é perigoso!" Me transformo a cada tentativa de superação, e mesmo isto aumentando a periculosidade íntima, eu VIVO! "É preciso ter caos e frenesi dentro de si para dar à luz uma estrela dançante." Sim, viver; viver não temendo o amanha mas concentrando-se no hoje, no agora. Viver sem ser tolhido pelos pensamentos alheios, sem carregar tal peso, somente sentindo tudo o que esta em volta. "Assumir a responsabilidade dos outros... esse é o caminho para o aprisionamento, meu e deles." Livre! Mesmo parecendo tão presa ao meu destino, sinto meu espírito livre e só anseio o dia em que o enorme gozo pessoal, quando meu espírito e corpo, enfim, se fundirem completamente! "Temos que viver como se fôssemos livres." Talvez por tais pretensões íntimas, eu seja tão incompreendida. Me surpreende e até assusta a idéia de que pessoas com as quais eu convivi por anos, não enxergam quem e como realmente sou. Claro que mantenho meu semblante fechado, as vezes até aparento uma certa auto-suficiência, mas será que meu olhar não denuncia? Será que não me entrega? Muitas vezes, através de um certo jogo no olhar, clamo por compreensão e ajuda; quase sempre em vão. "Às vezes, enxergo tão profundaente a vida que, de repente, olho ao redor e vejo que ninguém me acompanhou e que meu único companheiro é o tempo." Solidão... Até relutei em tocar nesse assunto, pois eis o motivo de minhas constantes mudanças de humor e momentos de introspecção. " De modo a se fortalecer, deve primeiro afundar suas raízes no nadae aprender a encarar sua mais solitária solidão." Touché, enfrentar nossos próprios fantasmas para depois, e só depois, relacionar-se com o outro; não para extrair algo dele, mas para somar... "Para se relacionar plenamente com o outro, voce precisa primeiro relacionar-se consigo mesmo. Se não conseguimos abraçar nossa própria solidão, simplesmente usaremos o outro como o escudo contra o isolamento. Somente quando consegue viver como a águia, sem absolutamente qualquer público, voce consegue se voltar para oura pessoa com amor; somente então é capaz de se preocupar com o engrandecimento do outro ser humano." O medo da solidão sempre aprisionou-me, mesmo quando inerte em meu subconsciente. Isso explica porque só agora dei-me conta de que usei tantas pessoas; mesmo que não propositalmente, mas o fiz. Prendo-me porque sinto medo da liberdade total; que contradição! Linhas atrás eu reclamava  por ser livre, e agora afirmo esse dito medo... "Seu paradoxo é que voce se dedica à busca da verdade, mas não consegue suportar a visão de sua descoberta." Tento fugir como maneira de proteger-me de minhas próprias conclusões. "Cada pessoa tem que escolher quanta verdade consegue suportar." Mais uma irônica contradição: falo em força, quando mostro-me tão fraca em certos aspectos, tais quais esse! Prendo e mantenho pessoas em minha vida por puro medo da solidão e da insegurança, e ainda intitulo tal vínculo como AMOR!!! "Jamais alguém faz algo totalmente para os outros. Todas as ações são autodirigidas, todo serviço é auto-serviço, todo amor é amor próprio... Talvez esteja pensando naqueles que ama. Cave mais profundamente e descobrirá que não ama a eles: ama isso sim as sensações agradáveis que tal amor produz em voce !" Quão tortuoso é apurar tais sentimentos, tais palavras... Quão devastador é para o espírito definir a quem se ama ou não; um complexo de emoções não pode ser simplesmente fracionado; ou será essa mais uma desculpa para não se encarar a verdade? Apenas sinto minhas pertubações fervilharem! "Os medos não brotam das trevas; pelo contrário, eles são como estrelas : estão sempre ali, mas obscurecidos pelo clarão da luz do dia." É em meu recôndito quarto que encontro-me comigo mesma; e muitas vezes durmo, para não encarar quem realmente sou! "Escondo meu verdadeiro eu por existirem tantos aspectos desprezíveis em mim." Tentamos esquecer e assim abafar nossas verdadeiras pretensões... "Grande parte de nossa vida pode ser vivida por nossos instintos." Por vezes dissimulei um olhar e maquinei um sorriso; certamente para não expor minha verdadeira indignação ou para negar um demasiado incômodo! "Amamos mais o desejo do que o desejado." 
Enfim, qual o resultado de uma vida repleta de ilusões??? "Será que um sonho, depois de sonhado, acomodará mudanças na vida do sonhador?"
 Outras passagens do livro que achei interessantes:
  
"A chave para se viver bem é primeiro desejar aquilo que é necessário e, depois, amar aquilo que é desejado."
"Amo aquilo que nos torna mais do que somos."
"Inteligência maluca ou uma loucura sábia?"
"O espírito de um homem se constrói apartir de suas escolhas!"
"Se subirmos bastante, atingiremos uma altura da qual a tragédia deixará de parecer trágica."
"Quem não obedece a si mesmo é regido por outros."
"Esta vida é sua vida eterna."
"Se o homem está só e a necessidade é uma ilusão, ele estava livre!"
"A melodia estava certa, a dança é que estava errada!"
"É mais fácil enfrentar uma má reputação do que uma má consciência."

 Frases extraídas do livro: Quando Nietzsche chorou

Amada Elma Moreira de Assis


Eh que saudade me mata e distancia maltrata, eh que  distancia maltrata e a saudade me mata...


From: elma_moreira@hotmail.com
To: sandrovisks@hotmail.com
Subject: Minha análise... hehehe!
Date: Thu, 21 Jan 2010 02:00:39 +0300

Opine e continue me mandando seus textos!!!
Saudade...
beijo!

Análise...


Na minha concepção o amor é equivalente ao equilíbrio, justiça, igualdade, partilha de prazeres e angústias; acredito que não posso ter um relacionamento satisfatório com um parceiro que me domine. Pra mim, sexo é criatividade; está acima do trivial, é uma entrega grandiosa. Considero que a gratificação sexual caminha de mãos dadas com a satisfação mental. Se esse ingrediente estiver faltando, a satisfação também estará ausente. Sexo acontece em um nível mental. Estou propensa a ser um feixe de nervos, de energia; sou irrequieta e curiosa. E por isso, acredito ser tão importante encontrar a pessoa certa, para não me machucar. Sou uma pessoa que se entrega, se permite; basicamente calorosa e afetiva, mas tenho receio de ser limitada, restringida, de ter minhas emoções aprisionadas. Constantemente procuro um ideal. Na maioria das vezes, uma vez que descubro o "mistério" de outra pessoa, meu próprio interesse pode se dispersar. Isso deixa os outros confusos, magoados, imaginando o que saiu errado. Talvez eu tema ser conhecida, compreendida, ou analisada, pois creio que os outros possam vir a perder o interesse. Tenho tendência a ser rápida, impaciente, brava se os outros demoram a perceber, entender ou reagir. Por outro lado, sou desafiadora, motivando os outros a prosseguir, dar o melhor deles mesmos. Tenho em mente que sexo iguala-se à beleza, justiça, equilíbrio; isso, como já foi dito, é uma situação ideal. Sexo, é um ideal, e não um mero ato. Não é uma técnica, é uma experiência totalmente absorvente. Pode trazer paz e contentamento, assim como excitamento. Desejo o sexo em sua forma criativa, madura e satisfatória. Tenho uma personalidade camaleônica e a capacidade de fazer mil e uma coisas ao mesmo tempo. Sou um ser volátil por natureza, que muda de postura e opinião com a mesma sem-cerimônia com que muda de roupas, hobbies, simpatias e antipatias. E não é porque não saiba o que quero - é que não consigo me decidir entre tanta coisa que o mundo oferece e, na dúvida, decido-me por tudo! Sou um caso de dupla personalidade crônica, ou, na mais emocionante das hipóteses, de múltipla personalidade, mesmo. Adaptabilidade, versatilidade, mutação... Com já dizia o nosso grande Raul: “Eu prefiro ser, essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo...” Por isso muitos podem me considerar volúvel. Essas pessoas estão vendo apenas a minha curiosa parte analista. Aqueles que entendem "a outra metade" sabem que posso ser constante e que minha curiosidade é uma parte e não o todo. Sou mentalmente rápida; inovadora; minha busca está na trilha da segurança. Para satisfazer impulsos básicos, procuro um ideal. Uma de minhas características é a dedicação. No amor, é a variedade e a curiosidade que contam, alguém que alimente meu cérebro com informações novas, que promova viagens – intelectuais ou físicas. Sou uma espécie de agente de ligação, repórter da vida, chefe do intercâmbio, aprendiz de tudo, falante de muitas línguas, mestre da mágica de convencer pela palavra. Não existo para consolidar, nem para impor nenhum desejo. Tenho a curiosidade e a maleabilidade necessárias para fazer com que aquilo que foi criado e manifestado entre em contato com um todo maior, o meio. Daí a minha sempre busca em conhecer novas pessoas, trocar notícias, informações. Tudo é movimento, nada é constância. Por isso é duro ter de me conformar com alguns poucos caminhos, pois as opções são tantas e tão ricas. Os destinos podem ser tantos, a vida é um jogo de relacionamentos, excitante e cheia de aventura. A distração e a dispersão se tornam os meus maiores problemas. Gosto muito de ser pontual, porque sempre em meu caminho acho algo interessante para ser investigado. Não minto de propósito, apenas sofro de excesso de imaginação(kkkk)! Sou mais caleidoscópica do que a monótona realidade. Pra mim, é quase impossível escutar muito e não interromper porque minha mente movimenta muito tendo um e outro pensamentos instantâneos. Estou sempre procurando algo interessante para aprender... Insatisfeita, sempre querendo mais: mais amores, sensações, energias, conhecimento...