quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Gal Costa - "Dez anos" (1979)


"...Recordo quando a noite abriu seu manto
E o canto daquela fonte nos envolveu
O sono fechou meus olhos, me adormecendo
Senti tua boca linda a murmurar
Abraça-me por favor minha vida
E o resto desse romance so sabe Deus..."

Elma Moreira de Assis 29-08-2012

 É incabível você não estar aqui... Essa música será sempre nosso tema! =/

Escute essa canção que pe pra tocar no rádio, no rádio do seu coração, você me sintoniza e a gente então se liga, nessa estação...

P.S.: Normalmente quando vejo alguém derramando- se em lágrimas ao lado de quem se foi, entendo que esta pessoa está sentindo o peso da morte de quem partiu, POIS DEIXOU DE FAZER OU DIZER ALGUMA COISA (AS), e agora sabe que este peso o acompanhará para sempre!!!!
Não sinto o peso da sua morte, eu respeito que todos teremos que partir, sentirei saudade...
A dor da saudade não diminui com o passar tempo, pelo contrário, ela aumenta, a saudade não é coisa que passa...
Mas em vida, disse todas as vezes que tive vontade, o quanto TE AMO e o quanto você É importante na minha vida...
Assim que reencontrar um caminho, prosseguirei, pois a vida segue para os que ficam... mas agora, hoje... impossível, tamanha a tristeza...

Até breve amada!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Cadê minhas lembranças felizes? - Fabrício Carpinejar

De todas as conversas que tive com minha mãe, só lembro aquela que me magoou.
De todos os nossos longos e curtos diálogos no carro, no ônibus, em casa, nas praças, nas caminhadas pelo bairro.
Milhares de c

umprimentos, de abraços, de risos, de colos, de palavras de incentivo, de piadas e recordações, e o que guardo é ela dizendo que não presto. (...)

Não preservamos as delicadezas, assim como não economizamos água, já que ela verte com ligeireza pela torneira da residência.

Não poupamos as cenas comoventes, assim como não economizamos luz, já que ela depende de um clique para clarear as paredes.

Não embrulhamos a ternura, esnobamos. Parece que é um dever recebê-la, que nossa companhia precisa nos oferecer sempre o cotidiano mais precioso. (...)


O que é ruim é solene. O que é bom é descartável.

A morte se torna mais inesquecível do que o nascimento. O atrito surge mais consolidado do que o primeiro encontro. A ruptura se destaca diante dos acordes iniciais da amizade.

Temos amnésia da leveza, pois deduzimos que virá mais e mais no dia seguinte. Não criamos álbuns de nossas gargalhadas, mas recortamos as cenas rancorosas e amargas como se fossem definitivas e esclarecedoras.


Somos algozes da felicidade e, ao mesmo tempo, vítimas da infelicidade.


terça-feira, 28 de agosto de 2012

CANTIGA - SÁ DE MIRANDA

SÁ DE MIRANDA
Comigo me desavim,

No extremo som do perigo;
Não posso aturar comigo
Nem posso fugir de mim.


Com dor da gente fugia
Antes que esta assi crecesse;
Agora já fugiria

De mim se de mim pudesse.
Que meo espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo
Se trago a mim comigo
Tamanho imigo de mim?

Poema de William Ernest Henley

    Sob o manto da noite que me cobre
    Negro como as profundezas de um pólo a outro
    Eu agradeço a todos os deuses
    Por minha alma invencível.
    Nas garras ferozes das circunstâncias
    Não me encolhi, nem derramei meu pranto
    Golpeado pelo destino
    Minha cabeça sangra, mas não se curva.
    Longe deste lugar de ira e lágrimas
    Só assoma o horror das sombras
    Ainda assim, a ameaça dos anos me encontra
    E me encontrarão para sempre, destemido
    Pouco importa quão estreita seja a porta
    Quão profusa em punições seja a lista
    Sou o Senhor do meu destino
    Sou o Capitão da minha Alma.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Despedida - Alessandro Brito



E tudo se acabou
O tempo vai varrendo da memória as lembranças
E a história que se conta
Não tem fim
A dor de ver partir quem sem ama
Não cabe numa história...

Saudade, sentimento que devasta o coração de quem fica
E faz da dor uma tatuagem na alma
E mata, sem derramar sequer uma gota sangue
Rouba a inocência e criva o tempo
Que parece parar, a cada "tic" que chega
É igual a um "tac" que vai...

Um pelo outro
Na perca e no ganho
Pra quem deu a vida
Ou pra quem fica
Despedida
Outras virão...

Bill Withers - Ain't No Sunshine

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Um homem com uma dor - Paulo Leminski

Um homem com uma dor
é muito mais elegante
caminha assim de lado
como se chegasse atrasado
andasse mais adiante
carrega o peso da dor
como se portasse medalhas
uma coroa um milhão de dólares
ou coisa que os valha
ópios édens analgésicos
não me toquem nessa dor
ela é tudo que me sobra
sofrer, vai ser minha última obra.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

DRÃO - GILBERTO GIL


COMENTÁRIO DO VIDEO:

Essa música confirma a tese de que a dor e o sofrimento, quando esbarram em almas sensíveis e amorosas, arrancam da alma - ao invés de revolta - poesia, doçura e encantamento...
Gil escreveu essa belíssima letra e compôs essa melodia em um momento de grande crise pessoal (término de um casamento).
Como bem dizia Vinícius de Moraes:
"Assim como o poeta
Só é grande se sofrer"
E também Tagore:
"A terra, insultada, vinga-se dando-se flores".

sábado, 11 de agosto de 2012

Velha Guarda da Portela - Deus te ouça


Me contrariei (Por que razão?)
Só eu mesmo sei (Diga então)
Eu que sempre fui leal
A quem só me quis o mal
Devo ser feliz (Tu serás)
O bem que eu fiz (Ninguém faz)
Confiança em Deus rapaz
Nas mãos do Mestre, o Bem terás.
Confiança em Deus rapaz
Nas mãos do Mestre, o Bem terás.
Apesar de ser tão pobre
Tive um coração tão nobre
Ai meu Deus, tenha fé.
Quem tem fé não cansa
Nunca perde a esperança
Ai meu Deus, tenha fé.
Quem tem fé não cansa
Nunca perde a esperança

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Nara Leão - Soneto [ao vivo especial mpb tv cultura]



Esse Soneto... decifra o estado de uma alma!

Por que me descobriste no abandono
Com que tortura me arrancaste um beijo
Por que me incendiaste de desejo
Quando eu estava bem, morta de sono

Com que mentira abriste meu segredo
De que romance antigo me roubaste
Com que raio de luz me iluminaste
Quando eu estava bem, morta de medo

Por que não me deixaste adormecida
E me indicaste o mar, com que navio
E me deixaste só, com que saída

Por que desceste ao meu porão sombrio
Com que direito me ensinaste a vida
Quando eu estava bem, morta de frio

Nara, doce, doce... Eh por isso que sou doido, louco, alucinado por ela!!!!! 

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Esta noite - Charles Bukowski

“Seus poemas sobre as garotas ainda estarão por aí
daqui há 50 anos quando as garotas já tiverem ido”,
meu editor me telefona.
Caro editor:
parece que as garotas já se
foram.
Entendo o que o senhor diz
mas me dê uma mulher verdadeiramente viva
nesta noite
cruzando o piso em minha direção
e o senhor pode ficar com todos os poemas
os bons
os maus
ou qualquer outro que eu venha a escrever
depois deste.
Entendo o que o senhor me diz.

O senhor entende o que eu digo?
- Charles Bukowski

O jeito que isso é - Charles Bukowski

o inferno está lotado ainda
você sempre pensa que você está
sozinho.

e você nunca pode dizer
a ninguém que
você está no inferno
ou eles vão pensar
que você está
louco.

mas ser louco é
estar no inferno
e ser sensato
também.

aqueles que escapam do inferno
nunca falam sobre
isso
e nada mais
incomoda eles
depois
disso.
Quero dizer, coisas como
falta de uma refeição,
ir para a cadeia,
bater seu carro
ou
mesmo
morrer.

quando você perguntar-lhes,
"como as coisas estão
indo? "
eles vão responder: "bem,
muito bem ... "

uma vez que você foi para o inferno
e voltou
é o bastante, é a
mais silenciosa celebração
conhecida.

uma vez que você foi para o inferno
e voltou,
você não olha para trás
quando o chão
range.
o sol está no alto a
meia-noite

e coisas como
os olhos de ratos
ou um velho pneu
em um terreno baldio
pode torná-lo
feliz.

uma vez que você foi para o inferno
e voltou.