quinta-feira, 28 de abril de 2011

Velho companheiro - Alessandro Brito

Velho companheiro
Que saudade...
Onde está você?
Choro nesse canto a tua ausência
Teu silêncio
E a distância que se fez
Tão grande
E levou você de vez daqui...
Sabe, companheiro
Algo em mim também morreu
Desapareceu
Junto com você...
E hoje esse meu peito mutilado
Bate assim descompassado
Que saudade de você...

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Assombração de barraco - Bezerra da Silva

Eu já ando injuriado, ô xará
Meu salário defasado,
Meu povo todo esfomeado
E ainda é intimado a votar
Vejo que essa previdência
Não tem competência pra ser social
O trabalhador adoece e morre na fila do hospital
Enquanto uma pá de aspone que dorme e come mamando na teta
E os pc's na mamata sempre fazendo mutreta
Roubando dinheiro do povo e mandando pra suíça na maior careta
...
Isso é que é covardia que me arrepia e me faz chorar
É fraude por todos os lados e ninguém consegue grampear os
Culpados
É que na realidade a impunidade tá feia demais
E uma pá de cheque-fantasma assustando o planalto central
Assombração de barraco ou ladrão de gravata e não é marginal

terça-feira, 26 de abril de 2011

Jornal da Pedra - Bezerra da Silva

Olha ai dedu duro:

Disse e me disse, não se revela
Sim mais é a lei do jornal da pedra da favela
-Disse e me disse, não se revela
É a lei do jornal da pedra da favela

Está escrito assim:
-Todos tem que respeitar
Não ví, não sei, não conheço
É somente a resposta que se pode dar
Quem caguetar na favela
Já está ciente que vai dançar
Não adianta pedir segurança a ninguém
De qualquer maneira o bicho vai pegar
...
Essa lei têm artigo desonerando o defensor
Cujo o número é 00
Que doutor nenhum estudou
Ela não dá direito a perdão
Mesmo sendo primário não vai dá sorte
A sociedade apóia o delator
Na favela ele é condenado a morte
...
Disse e me disse, não se revela (-"São Bento"),É a lei do jornal da pedra da favela
-"Ai rapaziada, depois de um papo desse
vacila quem quizer.
É a maior deixa malandragem."

A Cantada - Só pra variar

"A CANTADA...

Roberto, 40 anos, executivo, senta-se na poltrona do avião com destino a New York e maravilha-se com uma deusa sentada junto à janela. Após 15 minutos de vôo ele não se contém:

- É a 1ª vez que vai a New York?

Não, é uma viagem habitual

 - Trabalha com moda?

- Não, viajo em função de minhas pesquisas. Sou sexóloga.

- Suas pesquisas dedicam-se, a quê?

- No momento, pesquiso as características do membro masculino.

- A que conclusão chegou?

- Que os Índios são os portadores de membros com as dimensões mais avantajadas e os Árabes são os que permanecem mais tempo no coito. Logo, são eles que    proporcionam mais prazer às suas parceiras. Desculpe-me Senhor, eu estou aqui falando mas não sei o seu nome...

- Mohammed Pataxó!

domingo, 24 de abril de 2011

Milho aos pombos - Zé Geraldo



Enquanto esses comandantes loucos ficam por aí
queimando pestanas organizando suas batalhas
Os guerrilheiros nas alcovas preparando na surdina suas
mortalhas
A cada conflito mais escombros
Isso tudo acontecendo e eu aqui na praça
dando milho aos pombos
Entra ano, sai ano, cada vez fica mais difícil
o pão, o arroz, o feijão, o aluguel
Uma nova corrida do ouro
o homem comprando da sociedade o seu papel...

sábado, 23 de abril de 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

04 - Peace of mind - B.B. King - Live by request




Eu tive tudo que o dinheiro pode comprar
Mas ainda sou tão infeliz, querida
Que poderia chorar
Porque nunca tive paz de espírito.

Quando você está com problemas
E tudo esta de ponta-cabeça
Então você percebe sobre o que eu estou cantando
Você percebe que a paz de espírito
É díficil de achar

Estive em todos os lugares
Vi de tudo
Mas só tenho a mim mesmo para culpar
Por não perceber
Enquanto eu voava alto
Que a alegria é algo que o dinheiro não pode comprar

As coisas que não fiz são muito poucas
Sim, tive problemas e sorte também
Mas nunca tive paz de espírito
Querida, em minha vida
Em minha vida.

domingo, 17 de abril de 2011

Saldo positivo - Gisa e João Nogueira

Gisa é maravilhosa!!!

A CASA DA SAUDADE - FLÁVIO JOSÉ

A CASA QUE VOVÔ MOROU
O MEU PAI HERDOU
E PASSOU PRA MIM

MAS PARA ARRANJAR AMOR NOVO
NUMA CASA VELHA
AÍ É TÃO RUIM (BIS)

PENSEI EM ME CASAR COM ELA
MAS NA CASA VELHA
ELA NÃO QUIS NÃO (BIS)

ERA O QUE EU MAIS QUERIA
POR ISSO DOÍA O MEU CORAÇÃO

TROQUEI A MINHA CASA VELHA
NUMA CASA NOVA
PRA CASAR COM ELA (BIS)

AÍ EU FIZ UM BOM NEGÓCIO
POIS GANHEI DE VOLTA
O CORAÇÃO DELA.



quinta-feira, 14 de abril de 2011

Frase - Nelson Rodrigues

 Não damos importância ao beijo na boca. E, no entanto, o verdadeiro defloramento é o primeiro beijo na boca. A verdadeira posse é o beijo na boca, e repito: - é o beijo na boca que faz do casal o ser único, definitivo. Tudo mais é tão secundário, tão frágil, tão irreal.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Elevador

Fiquei zuado... =(

Мари́я Ю́рьевна Шара́пова


Sê - Pablo Neruda

Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,

Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.

Ó Pai Ó - Cena com Lázaro Ramos e Wagner Moura

PUTZ!

Uma das cenas mais fodas que já vi!!!!

Trindade - P.C. Pinheiro

Eu queria me olhar nos olhos simples e duro
Sem que me tivesse que olhar em espelhos
Como se olhasse normalmente nos olhos de outra pessoa
Por que eu só a única outra pessoa que não pode me olhar nos olhos
Como se olhasse uma pedra ou metal
Mais q pode olhar uma pedra ou um metal
E se isso não lhe parecesse bastante anormal
A minha única outra pessoa poderia me olhar nos olhos se olhasse uma pedra ou um metal
Eu queria me dizer coisas simples e duro
Sem que me tivesse que falar em voz alta
Como se falasse normalmente para outra pessoa
Por que eu só a única outra pessoa que nada pode escutar de mim
Como se escutace a mim ou a Deus
Mais que pode escuta a mim ou a Deus
E se isso não lhe soace bastante transcendental
A minha única outra pessoa
Poderia mi escutar se escutace em mim a mim ou a deus
E assim sucessiva me ouvindo e olhando
A minha única outra pessoa
Seria minha única única pessoa


Confúcio

terça-feira, 12 de abril de 2011

Lenha Na Fogueira - Mauro Duarte / Paulo César Pinheiro

Aí meu parceiro Guina, promessa é dívida, ta na chapa! rs
 
Apesar de te amar como és
Eu jamais cairei a teus pés
Pois no amor tem que haver compreensão dos dois
Pra não sofrer depois
Decepções cruéis
Todo abismo de amor nasce igual
O egoísmo é o primeiro degrau
Quem espera do amor mais do que ele tem
Acaba sem ninguém
Na direção do mal

Aprendi que amor é desde o início
Mais renúncia e sacrifício
Que prazeres pra quem ama
Mas sendo amor também essa fogueira
Quem põe lenha a vida inteira
Nunca mais apaga a chama

Manhã de Carnaval - Nara Leão

Gosto mesmo dessa mulher... Dessa música então nem se fala...

LOUCA NO MTV NA RUA

Isto foi incrível! Plim plim plim plim...

No site da uol, charges tem a explicação de tudo que ela falou, simplesmente sensacionallllll...

E como sempre, o melhor são os comentários, principalmente dos lesadaços apoiando e aceitando a explicação... Como as pessoas são surpreendentes... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk (chorei)

Para ler o texto seria necessário baixar o arquivo, mas pra facilitar postei como comentário!
Site: http://charges.uol.com.br/emails-comentados/2009/11/10/ainda-aton

NORDESTE INDEPENDENTE - Composição : Bráulio Tavares/Ivanildo Vilanova

Aí seu João, isso foi chumbo nos córnos heim... Valeu meu velho!

Já que existe no sul esse conceito
Que o nordeste é ruim, seco e ingrato
Já que existe a separação de fato
É preciso torná-la de direito
Quando um dia qualquer isso for feito
Todos dois vão lucrar imensamente
Começando uma vida diferente
De que a gente até hoje tem vivido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Dividindo a partir de Salvador
O nordeste seria outro país
Vigoroso, leal, rico e feliz
Sem dever a ninguém no exterior
Jangadeiro seria o senador
O cassaco de roça era o suplente
Cantador de viola o presidente
O vaqueiro era o líder do partido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Em Recife o distrito industrial
O idioma ia ser nordestinense
A bandeira de renda cearense
"Asa Branca" era o hino nacional
O folheto era o símbolo oficial
A moeda, o tostão de antigamente
Conselheiro seria o inconfidente
Lampião, o herói inesquecido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

O Brasil ia ter de importar
Do nordeste algodão, cana, caju
Carnaúba, laranja, babaçu
Abacaxi e o sal de cozinhar

O arroz, o agave do lugar
O petróleo, a cebola, o aguardente
O nordeste é auto-suficiente
O seu lucro seria garantido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Se isso aí se tornar realidade
E alguém do Brasil nos visitar
Nesse nosso país vai encontrar
Confiança, respeito e amizade
Tem o pão repartido na metade,
Temo prato na mesa, a cama quente
Brasileiro será irmão da gente
Vai pra lá que será bem recebido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Eu não quero, com isso, que vocês
Imaginem que eu tento ser grosseiro
Pois se lembrem que o povo brasileiro
É amigo do povo português
Se um dia a separação se fez
Todos os dois se respeitam no presente
Se isso aí já deu certo antigamente
Nesse exemplo concreto e conhecido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Povo do meu Brasil
Políticos brasileiros
Não pensem que vocês nos enganam
Porque nosso povo não é besta

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Fui feliz - Alessandro Brito

Quando eu partir, para aqueles que a mim se dedicaram, não há necessidade de tristeza, guardem seus prantos para as maldades que o mundo ainda lhes reserva, acreditem, fui feliz!

Cometi todos os erros que minha inexperiência permitiu... Parti quando deveria ficar, fiquei quando deveria parti, me comovi quando deveria negar meu perdão, sorri sem saber que logo iria chorar, acreditei quando deveria ignorar, abracei quando deveria castigar, gritei quando deveria ter calado, amei quando deveria ter desgostado... Não tenho muita culpa em cartório, meus erros me trouxeram poucas dores, tanto que nem posso considerá-los ruins pois me ensinaram muitas lições, acredite fui feliz!

Não sei quanto tempo ainda tenho, mas o muito ou pouco que restar, lhes falarei de coisas boas e compartilharei minha felicidade, minha vivência...

As vezes que amei, fui intenso, destemido... lancei-me diversas vezes no fogo da paixão, e das cicatrizes fiz um mapa que levou-me a um encontro intrínseco, atingi algo perto de um nirvana emocional.

O dinheiro me abriu portas que se fecharam assim que ele foi embora, entendi que de nada valia entrar sabendo que cedo ou tarde seria expulso, preferi a simplicidade das casas abandonadas, e foi nos corações mais solitários que encontrei o amor, nas mentes mais humildes que encontrei sabedoria e palavras de consolo, nos lares mais destruídos que encontrei a sinceridade, nos momentos mais difíceis que encontrei a verdade, fui feliz!

Agradeço aos amigos leais, vocês que me ensinaram sobre essa tal "lealdade".
Nos anos que passei na escola não consigo recordar- me de nenhum professor ter- me ensinado a respeito dela (talvez minha memória me traia) mas vocês meus amigos me ensinaram.
É para vocês que rabisco. Para demonstrar minha gratidão. Por isso não quero vê-los chorar quando eu partir, se talvez quando eu estiver partindo eu tenha a possibilidade de vê-los, ficarei arrasado em ver que estão tristes, e pior, que a culpa é minha por ter partido. Por favor nobres amigos não façam isso comigo, não nessa hora onde nada poderei fazer, apenas acreditem, fui feliz!
  
Me recusei a aprender o significado da palavra "pudor", achei que não combinava com meu estilo! 
O meu sorriso jamais escondeu uma falsa alegria, se um dia lhes ofertei, foi porque me fizestes feliz, e sorrir foi a forma que encontrei de recompensá-los.

Quando chorei, fui verdadeiro, te lembras quantas vezes me vistes chorar? Não deixastes que meu pranto rolasse, por isso minha vida foi digna, consegui ser fiel as minhas ideologias, fui um homem bem sucedido, realizado, pois concluí meus projetos de vida, embora nada ortodoxo para o nosso tempo! Mas consegui porque estavam do meu lado, eu precisa de apoio para seguir...
Se bati perna no mundo e desbravei o desconhecido, foi porque queria lhes dizer que existia um mundo lá fora, muito além daquele do qual eu via vocês atolados, sendo utilizados como peça dessa grande engrenagem da qual tornam todos ciosos do mesmo ideal, que até hoje provavelmente não sabem qual é... Queria lhes dar o meu modo de ver a felicidade,e para isso tive que ser exemplo, acreditem fui feliz!

O tempo , esse sacana, dono de toda sabedoria e detentor de todas as respostas fez um jogo e me lançou como peão em um tabuleiro composto de incertezas e probabilidades, me deu plenos poderes e autonomia para jogar. Mesmo sem saber onde estou indo, sigo meu caminho...!

Quando a morte vier me buscar, espero que ela esteja deslumbrante, quero uma grande festa de despedida, nada de choros ou lamentos, que vocês possam ter crises de risos lembrando dos perrengues que juntos passamos ou dos relatos da minha odisseia que sempre fiz questão de contar de boca cheia, não há motivo para tristezas, acreditem, fui feliz.

Amo vocês!

P.S.: Estou elaborando uma playlist para o dia do juízo final, mas não se  preocupem, pretendo levar algumas décadas para finaliza-la.

Carinhoso - Pixinguinha
Lamentos - Pixinguinha
Benzinho - Jacob Bandolim
Vibrações - Jacob Bandolim
Dúvida - Augusto Calheiros
Na batucada da vida - Elis Regina
Na Baixa do Sapateiro - Anjos do Inferno
João Valentão - Dorival Caymmi
Sinto-me bem - Nelson gonçalves
Carlso Gardel - Nelson Gonçalves
Último desejo - Nelson Gonçalves
Três apitos - Maria Bethânia
Rapaziada do Brás - Jair Rodrigues
Loucura - Lupcínio Rodrigues
Preciso me encontrar - Cartola
Apoteose ao samba - João Nogueira
Dia seguinte - Beth Carvalho
Demônios da Garoa - Poeta e Cantor
The impossible Dream - Elvis Presley
Nuit D´alger - Joséphine Baker
Ne me quitte pas - Jacques Brel
Padam padam- Edith Piaf
Non, je ne regrette rien - Edith Piaf
Don´t let me be misunderstood - Nina Simone
Por una cabeza - Carlos Gardel
A mi manera - Gipsy Kings


Sandrinho.

sábado, 9 de abril de 2011

NELSON RODRIGUES "ENTREVISTA" DOM HÉLDER CÂMARA

Na década de 1970, Nelson Rodrigues criou uma série de entrevistas imaginárias e provocativas, diga-se de passagem para criticar aqueles de quem discordava ideologicamente...

Parte I
“Ele continuava: -- ‘O Alceu acha graça na vida eterna. A vida eterna nunca encheu a barriga de ninguém’. D. Hélder falava e eu ia taquigrafando tudo. Aquele que estava diante de mim nada tinha a ver com o suave, o melífluo, o pastoral d. Hélder da vida real. E disse mais: -- ‘Vocês falam de santos, de anjos, de profetas, e outros bichos. Mas vem cá. E a fome do Nordeste: Vamos ao concreto. E a fome do Nordeste?’.

“Não me ocorreu nenhum outro comentário senão este: -- ‘A fome do Nordeste é a fome do Nordeste’. D. Hélder estende a mão: -- ‘Dá um dos teus mata-ratos’. Acendi-lhe o cigarro. ‘Diz cá uma coisa, meu bom Nelson. Você já viu um santo, uma santa? Por exemplo: -- Joana D’arc. Já viu a nossa querida Joana D’arc baixar no Nordeste e dar uma bolacha a uma criança? As crianças lá morrem como ratas. E o que é que esse tal de são Francisco de Assis fez pelo Nordeste? Conversa, conversa!’


Parte II

Agora era a vez da estagiária do Jornal do Brasil. Eis a pergunta: – “O que é que o senhor acha do amor?”. D. Hélder fez um risonho escândalo. Diz: – “Oh, oh!”. E responde com outra pergunta: – “Que idade você tem?”. Resposta: – “Dezenove”. D. Hélder ralhou, alegremente: – “E como é que você, aos dezenove anos, fale em amor? O que é o amor? Isso não existe, nunca existiu. O amor é a doença do sexo”. Estaca ao som da própria frase. Diz: – “Acho que fui feliz”. E repete: – “O amor é a doença do sexo”. Estimulado pela frase, foi adiante: – “O amor tem que ser exterminado. Nunca a morbidez é do sexo, sempre do amor. O sexo é de uma pureza, de uma inocência, de uma saúde totais. Vejam a lição dos vira-latas e dos gatos vadios. Olhem a praça da República. Não se conhece um Werther entre os gatos do Campo de Santana. Jamais um vira-lata matou, ou se matou, ou deu manchete na Luta ou no Dia. Precisamos matar o amor” .

Era o fim. A aragem fina desfez a imprensa imaginária. O Justino Martins tornou-se diáfano, o Cláudio Mello e Souza, incorpóreo, a estagiária, alada. Paletós, camisas, gravatas e sapatos, tudo se volatilizou. E, por muito tempo, o terreno baldio ficou ressoante da sábia frase: – “O amor é a doença do sexo”.
 

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Uma avenida chamada brasil (2/6)

Frase - Alessandro Brito

"Apenas consigo respeitar que para suas fraquezas existe um Deus, para seus erros existe o perdão, para sua falta de dignidade e sua hipocrisia existe a fé, e que para o julgo de todas juntas existe sua consciência, isso me tranquiliza".

terça-feira, 5 de abril de 2011

É por aqui - Walter rosa

 Composição : Walter Rosa

Me deixe com a minha dor
Não adianta se compadecer de mim
O mesmo passa com uma flor
Quando ela chegar ao fim
Ora me deixe
Me deixe...
O destino quando diz é por aqui
Seja branco ou de cor
Pobre ou rico
Eis aí o exemplo mostrando a razão
Voce partiu e eu fiquei
Se alguém perguntar se eu chorei
Alheio à minha vontade
Respondo que não
Não sei

segunda-feira, 4 de abril de 2011

sábado, 2 de abril de 2011

El baile de la gambeta - Riquelme

El padre de la pelota...

El Baile de La Gambeta
Bersuit Vergarabat

Por eso ahora vamo´ a bailar,
Para cambiar esta suerte.
Si sabemos gambetear
Para ahuyentar la muerte.
Vamo´ a bailar,
Para cambiar esta suerte.
Si sabemos gambetear
Para ahuyentar la muerte.
Y por que si,
Porque sobran las bolas,
De matarla con el pecho
Y no tirarla afuera.
Para jugar
De local en cualquier cancha,
Aunque pongo el corazón
Y vo´ ponés la plancha.