quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O ouro e a madeira - Ederaldo Gentil

São vários os compositores brasas da nossa cultura, alguns mais extremistas ficam apenas com os da velha guarda, outros dão chance para os comtemporâneos, acho que estou ficando mais maliável e menos saudosista, não teria como deixar de fora este comtemporâneo que pra mim está entre os dez mais brasas na canetada!

Charles Chaplim

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.

Dorme menino - Alessandro Brito

Dorme menino
Dorme menino, dorme! Não te apresses em ver o tempo passar, desfrute menino do seus sonhos e pesadelos, desperte apenas quando for hora de levantar.
Quando dormes não sentes sangrar a ferida, estas imune aos males da vida, nem mesmo a saudade pode te sufocar.
Dorme menino, dorme! E volta aquela época de fantasia, regressa aquele velho tempo de alegria e dê de braços com seu bem estar.
Fique ai sossegado que ficarei ao teu lado, impedirei que perturbem seu sono, e te asseguro o seu repousar.
Sonha menino, sonha! Muda todas as coisas de lugar! Revira teu peito em busca das chagas que por ventura ainda possam nele habitar.
Pinta novamente teus quadros, reescreva as suas canções, releia os livros guardados e sinta a outra vez aquela velha emoção.
Sonha menino, sonha! Não deixe a esperança apagar, ascende o candeeiro de tua alma e saia às ruas a iluminar.
Leva a tua verdade concreta, seja sempre a prova sincera que sozinho é mais duro caminhar.
Leva menino, leva! Leva toda sua liberdade, ensina ao povo que vive o que é a verdade, mesmo sendo ela dura de se enxergar.
Leva menino, leva! E deixa tuas dores para a realidade...
Acorda menino, acorda!
Findou se o tempo de sonhar!

Um ser de luz - João Nogueira / Mauro Duarte / Paulo Cesar Pinheiro

E quando falo de saudades  falo sério, e ninguém me agrada mais do Paulo Cesar Pinheiro abordando este tema.
Acho que só quem perdeu alguém que amasse mais que a sim mesmo pode entender os versos de:

Um dia
Um ser de luz nasceu
Numa cidade do interior
E o menino Deus lhe abençoou
De manto branco ao se batizar
Se transformou num sabiá
Dona dos versos de um trovador
E a rainha do seu lugar
Sua voz então
Ao se espalhar
Corria chão
Cruzava o mar
Levada pelo ar
Onde chegava
Espantava a dor
Com a força do seu cantar
Mas aconteceu um dia
Foi que o menino Deus chamou
E ela foi pra cantar
Para além do luar
Onde moram as estrelas
A gente fica a lembrar
Vendo o céu clarear
Na esperança de Vê-la, sabiá
Sabiá
Que falta faz tua alegria
Sem você, meu canto agora é só
Melancolia
Canta, meu sabiá, voa, meu sabiá
Adeus, meu sabiá, até um dia



FRASE - Alessandro Brito

"Podemos interpretar a poesia pois temos o conhecimento das palavras, mas só entenderá quem a viveu"

Poema da saudade - Miguel Falabella

 E por falar em saudades, tema esse que tenho certeza que abordarei muitas vezes mais,  alguns anos atrás  me  deparei com  este texto, achei legal e tal, mas pra minha sorte eu ainda não sabia com conhecimento de causa do que realmente se tratava. Hoje depois de perder a pessoa que mais amo, entendo perfeitamente cada verso.


“Em alguma outra vida,devemos ter feito algo muito grave,para sentirmos tanta saudade...
Trancar o dedo numa porta doí.
Bater o queixo no chão doí.
Doí morder a língua,cólica doí, doí torcer o tornozelo.
Doí bater a cabeça na quina da mesa,carie doí,pedras nos rins também doí.
Mas o que mais doí é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma brincadeira de infância.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade de nós mesmo,o tempo não perdoá.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se Ama.
Saudade da pele,do cheiro,dos beijos.
Saudade da presença,e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ele no quarto,sem se verem,mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ele para a trabalho,mas sabiam-se onde.
Você podia ficar sem vê-lo,e ele sem vê-la,mas sabiam-se amanhã.
Contudo,quando o Amor de um acaba,ou torna-se menor no outro.
Sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber se ele continua fungando num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Se aprendeu a entrar na internet,se aprendeu a ter calma no trânsito.
Se continua preferindo cerveja a uísque(e qual a cerveja)
Se continua sorrindo com aqueles olhos apertados,e que sorriso lindo.
Será que ele continua cantando aquelas mesmas musicas tão bem(ao menos eu admirava)?
Será que ele continua fumando e se continua adorando Mac Donald's?
Será que ele continua não amando os livros,e ela cada vez mais?
E continua não gostando de dar longas caminhadas,e ela não assistindo televisão?
Será que ele continua gostando de filmes de ação,e ela de chorar em comédias.
Será que ela continua lendo os livros que já leu?
Será que ele continua tossindo cada vez que fuma?
Saber é não saber mesmo!!!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais longos,não saber como encontrar
tarefas que lhe cessem o pensamento.
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música,não saber como vencer a dor
de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ele está com outra,e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz,e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro,se ele está mais belo.
Saudade é nunca mais saber de quem se Ama e ainda assim doer.
Saudade é isso que senti(e sinto) enquanto estive escrevendo e o que você (deveria)
provavelmente estar sentido agora depois que acabou de ler.”
Quem inventou a distância nunca sofreu a dor de uma saudade
!

A dor da saudade - Elpídio dos Santos

Mazzaropi foi surreal...

Busca infinita - Alessandro Brito

Bom, provavelmente o senso comum julgará  esse rabisco de "brega", mas que coisa não? Quem foi que disse que o amor não é brega? AI meu deus mas afinal brega está no julgo de quem mesmo? Fico nauseado, e declaro: SOU mega brega!!!!!! rs
P.S.: Aliás a Bethânia recita um texto falando a respeito disso, mas não consigo lembrar qual, se alguém souber por favor me avise rs.

Ando pelas noites, para o dia adormecer, fugindo de minhas tristezas cantando um samba, lendo um poema, ou escrevendo pra quem queira ler. Sempre numa busca que parece infinita daquela que um dia há de aparecer. Ó minha adorável, porquê demoras tanto? Tenho levado a vida em desencanto, almejando em teus braços repousar!
Minhas noites são sombrias, embora eu viva na orgia não tenho a alegria que imagino em teu colo encontrar.
Mas o que posso fazer se sou um tolo romântico, que enxuga o próprio pranto onde lágrimas ja não há!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Vergonha de sentir - Alessandro Brito

Não sei bem  o que pensar a respeito de relacionamento, apenas sei que sou um romântico apaixonado pela vida.... Nada como "rabiscar" pra aliviar.

As vezes sinto vergonha de sentir
Talvez seja medo de rejeição
Paro num canto a refletir
Procuro e não vejo explicação
Quando estas longe de mim
Meu peito padece na solidão
Sem você para fitar os meus olhos
Que tristes vagueiam na imensidão

Tu és a fonte da minha alegria
O teu riso é pra mim uma canção
Na vida hoje és minha harmonia
A dama que conduz meu coração
Não deixe que a saudade me sufoque
O tempo de quem espera é ilusão
Trilhemos juntos os mesmos caminhos
Sendo um do outro perfeição.

Renovar - Alessandro Brito

A cada 10  anos vivemos uma vida (disse certo dia o grande amigo Leonardo de Mattos, meu mestre) então comprei a idéia na hora. Com 10 anos de idade eu via o mundo de uma maneira, com 20 de outra totalmente diferente, agora que estou mais perto dos 30 não tenho dúvida que verei o mundo totalmente diferente de como eu vi com 10 e 20. E tenho dito, renovar é uma das coisas mais difíceis de se fazer, sair do mundo seguro que criamos e arriscar novas aventuras traz sempre um preço muito alto, e se bem definido, gratificante.

Renovar
É muito duro e é preciso
Saber que tem
Um novo sol novo sorriso
Um novo ar vou respirar
Poder sentir o perfume exalar
O amor se vai um outro vem
É perdendo e ganhando que a felicidade vem
Nas batalhas dessa vida sei que tem
Que encarar a realidade que hoje vem
E apesar do tempo
Isso só faz mal pra gente
Na saída amarguei a solidão
levantei saí do chão
Veja hoje eu sou feliz
Eu tenho a paz que eu sempre quis
Hoje eu quero muito mais
Cantar, amar assim sempre será!

Tempos de criança - Alessandro Brito

Vivemos sempre cheio de recordações e nostalgias de tempos áureos, todo somos assim, mas o que não nos damos conta que a nostalgia é simplesmente o que fazemos hoje.
O presente nada será se não a nostalgia do amanhã. Por isso devemos intensificar todos os nossos esforços e desejos em prol do agora, sabendo-se que isso logo estará como uma doce recordação logo mais, na sequência... rs




Na década que nasci era tudo muito diferente
Dos tempos de hoje, nem sombra da minha gente
Bebíamos água da chuva, da bica e de torneira
Jogos eram de cartas, descer de rolimã pela ladeira
Não havia água engarrafada, tão pouco vídeo game


Nossos pais se preocupavam
Mas não era medo do perigo
Éramos todos inocentes
Até os rapazes mais crescidos
Tinha-se muito mais respeito naqueles tempos mais antigos


Já cheguei em casa roxo
Pelos cantos me escondendo
Pro papai qualquer desculpa
Pro banheiro ia correndo
Depois ia para cama
Vendo o dia escurecendo


Pão era com muita margarina
Doce só podia de sobremesa
Lolo, 7 belo, dip n lik
Push pop, pirocóptero e teta de nega
Cada um em seu cantinho
Pra não dividir com a sala inteira


A professora era tirana e cruel
Quando se dizia não! Era não!
Ficar de castigo era coisa normal
Não questionava sua autoridade
Queria fugir daquele quartel
Mas se hoje a encontrasse
Com orgulho lhe diria: que ela foi fenomenal


Presente duas vezes por ano
Quando aniversário ou natal
Não dávamos show em supermercado
Ficávamos de castigo se nos comportássemos mal
Nem por isso ficamos problemáticos
Diferente dos dias atuais


Em meio a tudo isso
Em torno de toda esta nostalgia
Agradeço aos meus mentores
Por me tratarem com energia
A eles devo muito
E por isso fiz esta poesia.

Liberte-se - Alessandro Brito

Não entendo esse desejo louco do ser humano, de ter o porte mais belo, te ter os traços mais formosos... A beleza está ai ó, dentro de você... Pior do que vender idéias aos outros e vender idéias a si mesmo... Pare, procure olhar ao seu redor, procure dedicar- se ao seu irmão, ele precisa de ti! Eu preciso de ti! A minha felicidade depedende diretamente da sua. Pare de ouvir apenas o seu ego, a vida dá muitas voltas, e ao virar a esquina você pode se decepcionar, e quem sabe nesse momento lembrará de alguém a quem você feriu por pura vaidade, e que seria a pessoa que te estenderia a mão...
Sua beleza física chama atenção daqueles que vêem só o que a vista alcança, e estes são cegos! É preciso olhar além do que a vista pode alcançar!
Hoje estou aqui para abracar- te, mas no próximo segundo talvez eu deixe de existir, faça- me feliz agora, seja sincero comigo hoje, me ame pois eu o amo. A maior virtude do ser humano é a humildade, não tente me conquistar com seu status ou com sua beleza. O maior bem que se pode ter é a amizade.
Seja você um formador de opinião, relute contra as regras que lhe foram impregnadas, faça o que quiser pois a "ética e a etiqueta" só existe porquê concordamos que ela deva existir.
Liberte-se!

Passos Desvairados - Alessandro Brito

Eu vivo a busca infinita, sou dor sem cura! Desfruto de todos os sentimentos... Amor e dor, alegria e tristeza, riso e choro, esperança e desilusão, vida e morte... Orpheu em minha alma habita! Meus gritos são silenciosos como também são meus carinhos, a parte de mim que é desejo desperta nas horas em que mais fraquejo! A parte de mim que é dor se tornou meu trabalho, nela labuto todos os dias com a ilusão de lapida- lá. O meu instrumento de trabalho é amor. De minha alma sai um canto desafinado que entorpece a quem escuta, minha lira tem um jeito de quem está perdido em um caminho sem volta, não há paredes, não há estradas, não há luz nem referentes, há apenas passos desvairados que me conduz querendo voltar...